Skip to content

Dólar abre em leve queda após fechar no maior valor em 6 meses

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 20/10/2021

dólar abriu em leve queda nesta quarta-feira (20), após a disparada da véspera, pressionado pelas preocupações com as contas públicas após informações de que o governo anunciaria o novo Auxílio Brasil de R$ 400.

Às 9h03, a moeda norte-americana recuava 0,08%, vendida a R$ 5,5897. Veja mais cotações.

Na terça-feira, o dólar fechou em alta de 1,36%, a R$ 5,5944, no maior valor de fechamento desde 16 de abril, quando o dólar fechou em R$ 5,6241. Com o resultado, acumula alta de 2,73% no mês e de 7,85% no ano.

Offshore: Bolsas operam de lado nesta terça-feira, Nas moedas, o índice DXY sobe 0,1% para 93,8 e as emergentes depreciam em média 0,2% contra o dólar. Na Europa, investidores ainda digerem os números de inflação ao produtor da Alemanha e de preços ao consumidor da zona do euro e Reino Unido enquanto aguardam discursos de membros do FED. No mais, o Banco Central chinês optou por deixar a taxa de juros inalterada por mais um mês apesar de sinais recentes de desaceleração econômica.

Onshore: No local, os jornais seguem com foco no Auxílio Brasil após o governo suspender a apresentação do programa ontem. A ala política pressiona o Ministério da Economia por maior parcela de gastos fora do teto (também há pressão para elevar o benefício para R$ 500,00 – na proposta de ontem já seriam R$ 30 bi fora do teto). Além disso, a reforma do IR, que serviria como base de financiamento do Auxílio Brasil, é considerada morta no Senado.

Por fim, nesta quarta o BC retoma oferta de swaps (leilão de 10.000 contratos) além dos leilões regulares para rolagem e overhedge.


Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira

1. O malabarismo nas contas do governo brasileiro 

O governo adiou o anúncio do programa Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família, que aconteceria ontem, 19, após o mercado reagir de forma péssima à ideia de que romper o teto de gastos para garantir um valor maior ao benefício.

O novo programa de renda alcançaria 17 milhões de famílias, com uma parcela média de R$ 400, totalizando um orçamento de R$ 84 bilhões. Porém, como o governo não conseguiu articular um aumento na verba a tempo, cerca de R$ 30 bilhões seriam reunidos fora do teto de gastos.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, propôs que o Auxílio Brasil fosse de R$ 300, o que caberia no teto, mas a ala política do governo insistiu no valor mais alto. Assim, Guedes teria concordado a contragosto com a proposta atual para evitar articulações ainda mais danosas, como realizar todo o pagamento do benefício fora do teto.

Completando o clima tenso em Brasília, o relatório final da CPI da Covid, que será ligo hoje, 20, deve excluir os crimes de homicídio e genocídio atribuídos ao presidente Jair Bolsonaro, segundo o jornal O Globo. No lugar, o presidente deve ser acusado de crimes contra a humanidade. A acusação de advocacia administrativa contra o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) também deve ser retirada.

LEIA MAIS: Indefinição sobre tamanho do furo ao teto motivou recuo no anúncio de Auxílio Brasil, dizem fontes

2. Os democratas reduzem a conta de gastos

Os legisladores democratas dos Estados Unidos se aproximaram de um acordo sobre como cortar sua gigantesca conta de gastos. O presidente Joe Biden disse que é provável que o partido abandone seu compromisso de dois anos de mensalidade gratuita na faculdade comunitária.

A oposição do senador Joe Manchin, da Virgínia Ocidental, também prejudicou o Programa de Eletricidade Limpa, que prevê um mecanismo de recompensa e incentivo de longo alcance para forçar o ritmo da Transição de Energia pelas concessionárias.

O governo está tentando reduzir a escala do pacote para um custo geral de US $ 2 trilhões, dos US $ 3,5 trilhões originais. Os custos devem ser repartidos por 10 anos. Os relatórios sugerem que os legisladores democratas estão tentando fechar um acordo até o final da semana para a aprovação do projeto.

3. Mercado de ações americano

As ações dos EUA devem abrir estável mais tarde, à medida que a temporada de lucros atinge o ponto máximo. Alguns relatórios sólidos na terça-feira ajudaram o mercado a fechar em alta.

Os ganhos da Tesla após o fechamento serão o destaque do dia, e IBM provavelmente ficará grata por ter os holofotes roubados dela. Os primeiros balanços a serem divulgados incluem Verizon (NYSE:VZ), Nextera Energy  (NYSE:NEE) (SA:NEXT34), Anthem Inc (NYSE:ANTM) (SA:A1NT34), Abbott Labs (NYSE:ABT) e Kinder Morgan (NYSE: KMI).

Da noite para o dia, ASML (NASDAQ:ASML) (SA:ASML34) se tornou a mais recente empresa no setor de fabricação de chips a estender sua avaliação de quanto tempo durará o aperto no mercado de semicondutores, mas sua orientação de lucros ainda decepciona.

A ação da Netflix caiu no pré-mercado de quarta-feira depois de se tornar a primeira megacap a relatar os lucros do terceiro trimestre. O gigante do streaming superou as previsões para novos assinantes, adicionando 4,4 milhões, em vez dos 3,5 milhões esperados. No entanto, isso não se traduziu em uma surpresa positiva para a receita, porque a maioria estava sediada na Ásia-Pacífico e não no mercado norte-americano, onde a remuneração é maior.

Em outro lugar no universo megacap, o Facebook (NASDAQ:FB) (SA:FBOK34) supostamente irá mudar seu nome em um esforço para se tornar mais associado ao “metaverso” que espera construir. A mudança é um reconhecimento implícito dos danos à sua marca decorrentes de divulgações intermináveis ​​sobre os danos psicológicos causados ​​por suas redes de mídia social. Os relatórios sugerem que o desagrado político com a empresa já está gerando resistência aos planos de para seu serviço de carteira, Novi}.

Às 08h17, os futuros da Nasdaq 100 avançam 0,07%, enquanto os da Dow Jones e da S&P 500 sobem 0,03% cada.

4. Mudanças no banco central europeu 

A troca da guarda na maior economia da Europa será completa. O Deutsche Bundesbank disse que Jens Weidmann pediu para ser dispensado de suas funções como presidente no final do ano, citando ‘razões pessoais’.

Weidmann foi nomeado em 2010 a pedido de Angela Merkel, cuja candidatura como chanceler chegou ao fim após as eleições do mês passado (ela continua no cargo enquanto aguarda a formação de um novo governo).

Um notável falcão sobre a inflação, Weidmann travou o que foi em grande parte uma batalha perdida no conselho de formulação de políticas do Banco Central Europeu. O novo governo, que quase certamente será liderado pelos social-democratas de centro-esquerda, provavelmente indicará alguém mais alinhado com sua perspectiva. Estranhamente para um banqueiro central moderno, não há sugestão de que ele tenha negociado vantagens pessoais com informações privilegiadas.

5. O petróleo saiu das altas após o estoque API; Dados EIA vencidos

Os preços do petróleo bruto caíram de altas recentes depois que os dados de estoques semanais do American Petroleum Institute mostraram um aumento surpreendentemente grande nos estoques brutos americanos.

O ganho de 3,29 milhões de barris foi menor do que na semana anterior, mas foi maior do que o esperado e o quarto ganho semanal consecutivo após um verão de rápidas reduções de estoque.

As preocupações com o aperto de curto prazo no mercado não desapareceram, no entanto. O ministro do petróleo do Iraque disse que os preços podem chegar a US$ 100 o barril no primeiro semestre do ano que vem, bem acima da faixa desejada pela OPEP e seus aliados. Às 08h18, os futuros do brent caíam 1,21%, a US$ 84,05, enquanto os do WTI recuavam 1,24%, a US$ 81,42.

https://br.investing.com/news/economy/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-quartafeira-930718
https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/10/20/dolar.ghtml

Siga nossas redes

Veja mais

Exchange

Dólar opera em queda em semana de Copom

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 06/12/2021 O dólar opera em queda nesta segunda-feira (6), em semana de decisão do Banco