Skip to content

Dólar abre em queda acompanhando exterior e CPI da Covid

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 18/05/2021

dólar opera em queda nesta terça-feira (18), refletindo a fraqueza global da moeda em meio a apostas de manutenção de juros nos Estados Unidos, enquanto os investidores domésticos ficavam de olho na CPI da Covid-19.

Às 9h17, a moeda norte-americana era vendida a R$ 5,2474, em queda de 0,35%. Veja mais cotações.

Na segunda-feira, o dólar fechou em queda de 0,09%, cotada a R$ 5,2657. Na parcial do mês, tem queda de 3,04%. No ano, a alta é de 1,51%.

Fonte: TradingView

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta terça-feira

1. Privatização da Eletrobras; Argentina e carne bovina

O Valor Econômico destaca uma nova discussão em torno da privatização da Eletrobras (SA:ELET3), a dois dias da votação na Câmara dos Deputados, após a consultoria política Arko Advice ter recebido uma minuta de um relatório preparado pelo deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) da MP da desestatização.

O texto estaria prevendo que mais de R$ 40 bilhões em recebíveis poderiam ser retirados da companhia por meio de indenizações que vinham sendo pagas pelo próprio governo desde 2013.

Na Argentina, o presidente Alberto Fernández comunicou, em reunião com representantes dos frigoríficos, a suspensão das exportações de carne bovina do país por um mês. A decisão afeta os frigoríficos brasileiros Marfrig (SA:MRFG3) e Minerva (SA:BEEF3) Foods, este sendo líder do abate no país vizinho.

Lá fora, o EWZ, principal ETF brasileiro negociado no exterior, avançava 0,63% no pré-mercado em Nova York.

CONFIRA: Cotações de ações e ETFs no pré-mercado dos EUA

2. Dólar atinge mínima de três meses com commodities em alta

O dólar caiu para o menor patamar em quase três meses depois que novos comentários de autoridades influentes do Federal Reserve restaurar a confiança em um período prolongado de política monetária acomodativa.

Às 9h02, o DXY, o índice do dólar, que acompanha a moeda contra uma cesta de pares, caiu 0,41% – um movimento intradiário relativamente grande – para 89,8.

O movimento de baixa foi iniciado pelo vice-presidente do Fed, Richard Clarida, que disse na quinta-feira que os números de inflação acima do esperado não eram motivo para a autoridade começar a reduzir as compras de ativos.

Como é geralmente o caso, o dólar mais fraco apoiou os preços das commodities, com os produtos agrícolas subindo mais: Os futuros do café em Londres subiram mais de 3%, enquanto os futuros do milho, da soja e do trigo avançaram acima de 1%.

Série Especial – Inflação nos EUA: a Batalha entre Fed e Mercado

3. Ações devem abrir em alta; Walmart, Home Depot em foco

As ações dos EUA devem abrir em alta mais tarde, compensando todas as perdas que sofreram na segunda-feira.

Às 9h03, os futuros do Dow Jones subiam 0,16%, enquanto os do S&P 500 avançavam 0,18% e os do Nasdaq 100 tinham alta de 0,54%.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem as da Home Depot, do Walmart e da Macy’s, todos divulgando balanços antes da abertura. Os dados de início de construção e licença de construção de abril, às 9h30, devem mostrar que o mercado imobiliário ainda está operando em um nível historicamente alto.

CONFIRA: Cotações dos principais índices futuros globais

4. Ações europeias atingem novas máximas

As ações europeias registraram novas máximas pós-pandemia com os ações ligadas à atividade cíclica se beneficiando da mudança gradual nas preferências dos investidores globais para o crescimento.

O índice alemão DAX atingiu um recorde histórico após o Tribunal Constitucional do país efetivamente parar as tentativas dos críticos do euro de impedir as compras de títulos do governo pelo BCE.

O índice italiano FTSE MIB atingiu a maior alta desde que a pandemia estourou com a grande seguradora e gestão de ativos Generali (MI:GASI) relatando fortes resultados, enquanto os bancos em toda a região subiram à medida que os rendimentos dos títulos continuaram a chegar perto de zero. O PIB da Zona do Euro foi confirmado como tendo encolhido 0,6% no primeiro trimestre, conforme esperado.

5. IEA alerta sobre metas climáticas

A Agência Internacional de Energia disse que o mundo precisa parar todos os novos investimentos em petróleogás e carvão se quiser cumprir as metas do Acordo do Clima de Paris sobre o aquecimento global.

O think-tank com sede em Paris, que foi estabelecido para garantir a segurança energética das economias avançadas, disse que qualquer coisa a menos significará que a temperatura média global aumentará em mais de 1,5 grau Celsius.

Se adotados pelos governos ocidentais, os avisos da IEA pressagiam impostos mais altos sobre as emissões de carbono e maiores incentivos para a produção de energia mais limpa. No entanto, os alertas chegam perto de dizer que a meta é impossível e também podem encorajar os céticos do clima a pressionar por objetivos mais fracos de longo prazo para a redução de emissões.

https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/05/18/dolar.ghtml

https://br.investing.com/news/stock-market-news/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-tercafeira-869090

Siga nossas redes

Veja mais