Skip to content

Dólar dispara após Guedes falar em ‘licença’ para furar teto de gastos

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 21/10/2021

dólar opera em forte alta nesta quinta-feira (21), após o ministro Paulo Guedes confirmar que o governo pagará R$ 400 de Auxílio Brasil até dezembro de 2022 e falar em “licença” para furar o teto de gastos para financiar o benefício.

Às 9h43, a moeda norte-americana saltava 1,54%, vendida a R$ 5,6440. Na maior cotação do dia até o momento chegou a R$ 5,6750, renovando máximas que não eram atingidas desde abril. Veja mais cotações.

Lá fora, os ativos brasileiros negociados nos mercados externos despencavam nesta manhã em reação às declarações feitas pelo ministro na noite de quarta-feira e temores de descontrole fiscal, indicando mais um dia de turbulência também na bolsa brasileira. Em Paris, um ETF que acompanha o Ibovespa desabava 5,2%, maior queda desde março. No pré-mercado em Nova York, o iShares MSCI Brazil ETF caía 3,8%.

O Banco Central não anunciou venda de dólares venda líquida de dólares – seja na forma de swap cambial, seja de moeda física – para esta quinta, mas dada a disparada do dólar agentes financeiros não descartam que o Bacen intervenha de surpresa no mercado.

Na terça-feira, as notícias sobre as intenções do governo de pagar parte do Auxílio Brasil fora do teto de gastos já tinham azedado o humor dos mercados, provocando queda na bolsa, elevação dos juros futuros e aumento do dólar frente ao real.

Na quarta-feira, o dólar fechou em queda de 0,65%, a R$ 5,5583, após ter atingido R$ 5,5944 na terça-feira. Com o resultado da véspera, passou a acumular alta de 2,07% no mês e de 7,15% no ano.

Offshore: Bolsas operam em leve queda no dia de hoje, Nas moedas, o índice DXY avança 0,1% para 93,6 e as emergentes depreciam em média 0,5% contra o dólar. Evergrande volta a tomar conta da atenção dos investidores no exterior por não ter conseguido fechar a venda de uma das subsidiárias (Evergrande Property Services) e que garantiria um total de USD 2,6 bi para ajudar a empresa a evitar um calote. Por fim, dia de agenda econômica leve no exterior dá mais peso para a divulgação de resultados das empresas.

Onshore: No Brasil, mercados locais e câmbio vêm sofrendo cada vez mais com o aumento da tensão fiscal. O foco continua sobre as fontes de financiamento do Auxílio Brasil e do montante que ficaria no extra-teto da medida além do impasse sobre a PEC dos Precatórios na Câmara e a reforma do imposto de renda no Senado. Nos jornais, João Roma confirmou em coletiva que o valor do programa de auxílio será de, ao menos, R$ 400,00 e Paulo Guedes afirmou que será financiado por crédito extraordinário ou por uma revisão do teto de gastos. No mais, BC não anunciou nenhuma intervenção extra para o dia de hoje.


Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira

1. Guedes lava as mãos sobre o Auxílio Brasil

A situação fiscal do país continua na pauta dos mercados, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmando que irá pedir ao Congresso para usar R$ 30 bilhões fora do teto de gastos e garantir um benefício de R$ 400 no Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família.

Esse valor seria o suficiente para pagar a parte temporária do programa de renda, que duraria até o fim do ano eleitoral de 2022. O ministro ainda falou que o governo estuda antecipar o debate sobre a revisão do teto, que deveria acontecer apenas em 2026. A ideia seria aumentar o espaço no orçamento, com uma “sincronização” dos índices de inflação que são usados para corrigir o aumento do teto.

Guedes jogou a toalha e disse que a decisão sobre o gasto fora do teto será tomada pela ala política, pois a posição da ala econômica já havia sido dada. Para o ministro, a PEC dos Precatórios e a Reforma do Imposto de Renda seriam suficientes para garantir um Auxílio Brasil permanente.

LEIA MAIS: Guedes: formato do auxílio está a cargo da política, que decide até onde estica

2. Trimestre recorde da Tesla

A Tesla apresentou seu melhor trimestre em receita e lucro, mas suas ações tiveram dificuldade em construir ganhos que deixaram o seu valuation esticado, mesmo para seus próprios padrões. As ações atualmente são negociadas a 20 vezes as vendas e 451 vezes os lucros do ano passado.

A empresa já havia relatado números recordes de produção e entrega nos três meses até setembro. Sua melhor margem operacional de todos os tempos – alcançada apesar de um mix de produtos desfavorável e dos problemas setoriais bem documentados envolvendo transporte e escassez de componentes – pintou o quadro de uma empresa que não depende mais de créditos de emissões para obter lucro.

A única nota a ser questionada foi a ausência do CEO Elon Musk na call com os analistas, deixando o CFO Zachary Kirkhorn para alertar que os problemas da cadeia de suprimentos e custos de insumos mais elevados ainda podem pesar nos próximos trimestres.

3. Mercado americano de ações

As ações dos EUA devem abrir em baixa mais tarde, à medida que os balanços continuam sendo divulgados. A rodada de resultados de quarta-feira foi sólida o suficiente para empurrar o S&P 500 para perto de patamares recordes, mas o ritmo de hoje deve ser mais tranquilo, de olho nos pedidos de subsídio de desemprego às 09h30.

Às 08h21, os futuros de Dow Jones recuavam 0,30%, enquanto os da Nasdaq 100 e da S&P500 caíam 0,23% e 0,27%, respectivamente.

A lista de balanços do dia é liderada pela AT&T antes da abertura e pela Intel após o fechamento. O grupo de dispositivos médicos Danaher (NYSE:DHR) (SA:DHER34) já apresentou resultados acima das expectativas, assim como a gigante anglo-holandesa de consumo Unilever (LON:ULVR) (NYSE:UL), que se seguiu à Nestlé (SEIS:NESN) e Procter & Gamble (NYSE:PG) (SA:PGCO34) ao dizer que espera poder repassar preços mais altos de insumos aos consumidores.

Sobre as empresas de redes sociais, ontem as ações do Facebook (NASDAQ:FB) (SA:FBOK34) e do Twitter (NYSE:TWTR) (SA:TWTR34) reagiram de forma moderada, caindo menos de 1%, com a notícia que Donald Trump estabelecerá uma nova plataforma de mídia social chamada TRUTH Social “para desafiar a tirania da Big Tech”. Trump foi banido das duas plataformas quando seus apoiadores invadiram o Capitólio em 6 de janeiro em um esforço para impedir o Congresso de certificar a vitória eleitoral de Joe Biden.

A TRUTH Social, que será propriedade da Trump Media and Technology Group, será aberta por meio de uma fusão com a Digital World Acquisition, uma SPAC listada em setembro.

4. Primeiro dos bloqueios de outono na Rússia

A pandemia ainda não acabou. Os primeiros bloqueios do inverno do hemisfério norte estão aqui, com a Rússia ordenando o fechamento da fábrica por uma semana e sua capital Moscou ordenando o fechamento de todas as lojas, bares e restaurantes a partir de 28 de outubro.

Isso ocorre com os níveis de novos casos e mortes em patamares recordes, resultado da resistência popular à vacina Sputnik desenvolvida localmente, que foi a primeira vacina eficaz contra a Covid-19 a ser autorizada por qualquer país do G20. Menos de um terço da população de 140 milhões do país está totalmente vacinada.

Em outros lugares, o governo do Reino Unido foi forçado a minimizar as sugestões de que reintroduzirá as medidas de prevenção da Covid-19, após retirar os mandatos de máscara e se recusar a adotar cartões de vacinação no início do verão. Os níveis de novos casos estão em mais de 60.000 por dia, enquanto os níveis de mortalidade também estão em uma taxa constante de 130-140 por dia.

5. Mercados em alerta com Evergrande

China Evergrande (HK:3333) (OTC:EGRNY) se aproximou de uma inadimplência formal após não concluir a venda de um ativo gerador de dinheiro importante para ajudar a cumprir suas obrigações de curto prazo.

As ações da incorporadora caíram até 14% em Hong Kong, uma vez que retomou as negociações após um hiato de três semanas, após anunciar o fim das negociações para vender uma participação em sua unidade de serviços imobiliários para a Hopson Developments.

O período de carência para o primeiro título em dólar no qual Evergrande não pagou termina no final da sexta-feira. Outros desenvolvedores estão perdendo o pagamento integral de seus títulos em dólares quase que diariamente. O yuan permaneceu estável, refletindo a confiança nas garantias oficiais de que os riscos sistêmicos estão sendo contidos.

https://br.investing.com/news/economy/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-quintafeira-931358
https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/10/21/dolar.ghtml

Siga nossas redes

Veja mais

Exchange

Dólar opera em queda em semana de Copom

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 06/12/2021 O dólar opera em queda nesta segunda-feira (6), em semana de decisão do Banco