Skip to content

Dólar opera em alta após feriado

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 04/06/2021

dólar opera em alta nesta sexta-feira (4), depois de ter fechado abaixo de R$ 5,10 no último pregão antes do feriado – menor patamar desde dezembro passado -, e à espera de dados do mercado de trabalho dos EUA.

Às 9h02, a moeda norte-americana subia 0,53%, vendida a R$ 5,1107.Veja mais cotações.

Na quarta-feira (2), a moeda norte-americana recuou 1,22%, cotada a R$ 5,0839. É o menor patamar fechamento desde 18 de dezembro de 2020 (R$ 5,0818). Na parcial do mês, o dólar acumula queda de 2,69%. No ano, tem queda queda de 1,99% frente ao real.

Fonte: TradingView

Fique pode dentro das 5 principais notícias do mercado desta Sexta Feira

1. É o dia de payroll

O mercado de trabalho dos EUA parece estar ganhando força com os pedidos de auxílio-desemprego de quinta-feira e os dados de ganhos de empregos privados chegando acima das expectativas, mas agora a atenção se volta para o relatório das folhas de pagamento não-agrícolas de de maio para confirmação.

As expectativas no início da semana eram de 650.000 empregos adicionados no mês passado, mas depois dos fortes números de quinta-feira, eles começaram a subir. Dito isso, após a perda massiva do mês passado, quem sabe qual será o número!

Ainda assim, as condições são propícias para um número forte. O sucesso do programa de vacinação do país resultou em milhões de adultos totalmente vacinados ansiosos para retomar suas vidas, com menos restrições devido à pandemia, escolas reabertas e escritórios equipados para receber de volta os trabalhadores.

As folhas de pagamento privadas aumentaram em 978.000 empregos no mês passado, o de acordo com o relatório nacional da ADP mostrou na quinta-feira, o maior aumento desde junho do ano passado, enquanto os pedidos semanais de seguro-desemprego estadual dos EUA caíram para menos de 400.000 pela primeira vez durante a pandemia.

A única coisa que impede os economistas de entrarem em alta é a cautela após a grande surpresa do mês passado. Em abril, a folha de pagamento aumentou 266.000, embora os economistas esperassem 1 milhão. Isso marcou a maior perda de desvantagem em registros que datam de 1996.

“A interpretação primária deste relatório nada assombroso foi que a escassez de mão-de-obra e os problemas da cadeia de suprimentos estavam travando os números em vez de uma falta de impulso econômico”, disseram analistas da empresa de gestão de investimentos Brooks Macdonald, em nota. “Felizmente, desde o relatório, os números semanais de solicitação de seguro-desemprego superaram as expectativas, com o resultado que os economistas esperam que no mês passado seja um pico em vez de qualquer outra coisa.

A economia dos EUA ainda está longe do ponto em que o banco central pode começar a retirar seu apoio, disse o presidente do Fed de Nova York, John Williams, na quinta-feira.

E é improvável que um relatório de folha de pagamento forte mexa com o Fed, cujos dirigentes buscam uma recuperação ampla do mercado de trabalho antes de aumentar as taxas e reduzir US$ 120 bilhões em compras mensais de ativos, mas aumentará a pressão.

2. Após recorde, Ibovespa aguarda impacto do payroll no exterior

Após fechar acima dos 126 mil pontos na segunda-feira e a 128 mil pontos na terça, o Ibovespa renovou suas máximas históricas no último dia de negociação, quarta-feira (2), fechando a 129.601,44 pontos, alta de 1,04%.

Devido ao feriado de Corpus Christi, o mercado permenceu fechado na quinta-feira, enquanto as bolsas de valores dos Estados Unidos tiveram dia de baixa e seguem em clima de cautela antes do relatório de empregos do país, o que pode impactar também as negociações brasileiras.

EWZ, fundo de índice que replica o Ibovespa em Nova York, tinha queda de 0,39% na pré-abertura, intensificando as perdas da véspera, quando recuou 0,95%.

Por aqui, a bolsa de valores brasileira parece ignorar os altos números relacionados à pandemia da Covid-19. Ontem, o Brasil registrou 1.682 novas mortes pelo vírus, elevando o total de vítimas fatais da doença no país a 469.388.

O recente rali tem também minimizado perturbações políticas em Brasília. No último acontecimento polêmico, cedendo à pressão de Bolsonaro, o Comando do Exército optou por não punir Pazuello pela quebra das regras e normas disciplinares da instituição. Os investidores se atentam à evolução das pautas liberais e de privatizações no Congresso, como a Medida Provisória (MP) da privatização da Eletrobras (SA:ELET3) e as reformas tributárias e administrativa.

3. Ações devem abrir mistas em meia à cautela

As ações dos EUA devem abrir ligeiramente mais baixas na sexta-feira, consolidando-se antes do relatório oficial de empregos de maio, altamente antecipado.

Às 08h34, o Dow Jones futuros caíam 0,06%, enquanto S&P 500 futuros tinha leve alta de 0,07% e o Nasdaq 100 futuros subia 0,15%.

Os principais índices fecharam em baixa na quinta-feira, com o setor de tecnologia sofrendo o impacto das vendas, depois que fortes dados econômicos levantaram a perspectiva de um movimento antecipado do Federal Reserve.

O índice blue chip Dow Jones Industrial Average caiu 0,1%, ou 23 pontos, o índice amplo S&P 500 caiu 0,4%, enquanto o de alta tecnologia Nasdaq Composite perdeu 1%.

Dito isso, as principais médias permanecem não muito distantes de seus máximos históricos, ajudadas por vastas somas de estímulo fiscal, um Federal Reserve acomodatício e sinais de recuperação econômica da pandemia de Covid-19.

Outras evidências dessa recuperação vieram na forma de pedidos de seguro-desemprego melhores do que o esperado e dados de ganhos de empregos privados na quinta-feira, estabelecendo o principal relatório de folha de pagamento não-agrícola que será entregue na sexta-feira (veja acima), com este lançamento provavelmente para definir o tom de negociação para o resto do mês.

As chamadas ações de meme devem permanecer voláteis na sexta-feira, com o novo portador do padrão AMC Entertainment tendo uma queda no pré-mercado depois que a rede de cinemas levantou novos fundos na quinta-feira. As ações fecharam 18% mais baixas na quinta-feira, depois que a rede de cinemas divulgou planos de vender mais ações, e então continuou com a venda, apesar da fraqueza, arrecadando quase US$ 600 milhões. E as vendas parecem destinadas a continuar na sexta-feira, com o estoque visto mais de 6% mais baixo no pré-mercado.

Os investidores estarão também de olho nas ações de Crowdstrike (NASDAQ:CRWD), Lululemon Athletica (NASDAQ:LULU) (SA:L1UL34), DocuSign (NASDAQ:DOCU) (SA:D1OC34) e Broadcom (NASDAQ:AVGO) (SA:AVGO34) também devem estar em foco depois que todos divulgaram os lucros trimestrais após o fechamento da quinta-feira.

CONFIRA: Cotação dos principais índices futuros globais

4. Fusões e aquisições em ebulição

As principais economias estão começando a emergir da devastação da pandemia Covid-19 e uma das consequências foi um aumento no número de acordos de fusão e aquisição.

A atividade de fusões e aquisições atingiu um recorde pelo terceiro mês consecutivo em maio, com dados da Refinitiv mostrando que o valor total de negócios pendentes e concluídos anunciados no período de janeiro a maio atingiu US$ 2,4 trilhões, um recorde histórico. Somente no mês passado, US$ 532,9 bilhões em negócios foram registrados, o maior valor no mês de maio.

“Como o mercado de ações em alta continua a impulsionar a confiança e as taxas de juros permanecem em níveis recordes, tornando os empréstimos para aquisições baratos, os negócios continuam no ritmo alto”, disse Lucille Jones, analista da Refinitiv, em nota.

Os Estados Unidos tiveram a maior parte da atividade, US$ 1,3 trilhão em negócios este ano, enquanto a Europa e a Ásia-Pacífico viram US$ 411 bilhões e US$ 387 bilhões, respectivamente.

Não foi o setor de tecnologia usual que dominou a atividade no mês passado. Mídia e entretenimento assumiram a dianteira, impulsionados por grandes acordos como a fusão de US$ 43 bilhões da WarnerMedia and Discovery (NASDAQ:DISCA) (SA:DCVY35) e a compra da Amazon (NASDAQ:AMZN) (SA:AMZO34) de US$ 8,5 bilhões do renomado estúdio MGM enquanto a pandemia aumentava o valor dos serviços de streaming.

5. Preço do petróleo mais alto

Os preços do petróleo bruto subiam na sexta-feira, continuando a recente recuperação para máximos de vários anos em meio ao otimismo de que a demanda global por combustível estava se recuperando das profundezas da pandemia.

Às 08h42, o petróleo WTI avançava 0,26% para US$ 68,99 o barril, subindo para o nível mais alto desde outubro de 2018. O petróleo Brent tinha alta de 0,15% para US$ 71,43, após subir para o maior desde maio de 2019. Ambos os contratos subiram cerca de US$ 5 cada um nas últimas duas semanas.

LEIA MAIS: Petróleo Sobe por Causa da Demanda, e Não das Decisões da Opep+

A confiança está inundando o mercado de petróleo de que a demanda aumentará na segunda metade do ano, à medida que os EUA, China e Europa lideram uma recuperação robusta após a pandemia, apesar do retorno do Covid-19 em partes da Ásia.

Os estoques de petróleo dos EUA caíram mais do que o esperado na quinta-feira em outro sinal de alta para o mercado, com dados dos EUA Agência de Informações de Energia mostrando uma queda de pouco mais de 5 milhões de barris na semana passada, maior do que o esperado de uma redução de 2,4 milhões de barris.

Mesmo assim, começam a surgir dúvidas sobre a sustentabilidade dos preços nesses níveis.

O CEO da produtora russa Gazprom (MCX:GAZP) disse que “é importante não permitir que o mercado sobreaqueça” e que “um preço do petróleo na faixa de US$ 65 a US$ 70 o barril não é estável em o longo prazo ”, enquanto o CEO da Lukoil disse“ não devemos permitir uma alta acentuada no preço ”.

Isso colocará as próximas reuniões da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros produtores importantes, incluindo a Rússia, firmemente em foco.

“Dado que o Brent está sendo negociado agora acima de US $ 70 o barril, a pressão para aumentar a produção provavelmente só aumentará”, disseram analistas do ING, em nota.

Mais tarde na sexta-feira, os traders se concentrarão na última atualização semanal de Baker Hughes sobre o número de plataformas de petróleo, enquanto o CFTC lançará seu relatório semanal de posicionamentos de traders.

https://br.investing.com/news/stock-market-news/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-sextafeira-876672

https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/06/04/dolar.ghtml

Siga nossas redes

Veja mais