Skip to content

Dólar opera em alta nesta sexta

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

CÂMBIO NEWS – RESUMO DIÁRIO DE NOTICIAS SOBRE O MERCADO DE CÂMBIO – 11/06/2021

dólar opera em alta nesta sexta-feira (11), com investidores atentos às próximas reuniões de política monetária do Federal Reserve e do Banco Central do Brasil e após dados positivos do setor de serviços no país.

Às 9h19, a moeda norte-americana subia 0,37%, vendida a R$ 5,0844. Veja mais cotações

No dia anterior, a moeda norte-americana teve queda de 0,06%, cotada a R$ 5,0657. Com o resultado, acumula recuo de 3,04% no mês e de 2,34% no ano.

O Banco Central fará neste pregão leilão de swap tradicional para rolagem de até 15 mil contratos com vencimento em dezembro de 2021 e março de 2022.

Fonte: TradingView

Fique pode dentro das 5 principais notícias do mercado desta Sexta Feira

1. Sem máscara?

Com investidores de olho no exterior morno, o noticiário brasileiro fica em torno dos debates sobre a vacinação e a recente investida do presidente Jair Bolsonaro contra o uso obrigatório de máscaras, que evitam a contaminação por Covid-19.

Ele afirmou ontem que o Ministério da Saúde finaliza um parecer que irá desobrigar o uso de máscaras àqueles que já estiverem vacinados ou ainda a quem já tiver contraído a Covid-19.

O comentário trouxe forte repercussão negativa por especialistas da área médica, que defendem o uso do equipamento de proteção enquanto o Brasil não atingir uma taxa de vacinação de ao menos 70% – no momento, apenas cerca de 11% da população brasileira já recebeu as duas doses da vacina contra o vírus.

Enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal (STF) liberou nesta quinta-feira a realização da Copa América no Brasil após rejeitar, em julgamento no plenário virtual da corte, três ações que buscavam impedir a realização do torneio de futebol que será realizado no país mesmo em meio ao elevado número de casos e mortes por Covid-19.

2. Compromisso com a infraestrutura

Enquanto isso, nos EUA, relatos apontam que dez senadores americanos chegaram a um acordo sobre para uma proposta de projeto de lei de gastos com infraestrutura.

O grupo de senadores, que inclui uma mistura de democratas e republicanos, concordou com um projeto que custaria US$ 974 bilhões em cinco anos e US$ 1,2 trilhão em oito anos, e inclui US$ 579 bilhões em novos gastos, de acordo com a Reuters, que não incluiria o aumento de impostos.

Os dois lados estão em desacordo depois que o presidente Joe Biden propôs um pacote abrangente de US$ 1,7 trilhão no Congresso para reformar estradas e pontes e lidar com outras questões como educação e saúde domiciliar, com os republicanos reclamando do custo e do aumento de impostos sugerido para financiá-lo.

Enquanto isso, as ações americanas devem abrir em grande parte estáveis ​​na sexta-feira, em torno de níveis recordes, com os investidores ignorando os dados de inflação mais alta enquanto a recuperação econômica continua.

Às 08h47, o índice Dow Jones Futuros avançava 0,19%, S&P 500 Futuros tinha ganhos de 0,14% e o Nasdaq Futuros subia 0,2%.

3. Europa em recuperação

Não é apenas a economia dos EUA que dá sinais de recuperação pós-Covid-19: os números na Europa também estão melhorando.

A recuperação do Reino Unido acelerou em abril, à medida que as restrições de mobilidade diminuíram, com a produção econômica subindo 2,3% no comparativo mensal em abril, marcando o crescimento mais rápido desde julho.

O primeiro-ministro Boris Johnson quer suspender totalmente as restrições na Inglaterra em 21 de junho, mas isso pode ser adiado, já que a variante Delta do Covid-19 detectada pela primeira vez na Índia está se espalhando rapidamente.

produção alemã também está se recuperando da queda induzida pela pandemia, com o Bundesbank na sexta-feira aumentando as previsões de crescimento e inflação para este ano e o próximo.

4. Bitcoin classificado pela Basileia

Bitcoin, a maior criptomoeda do mundo por capitalização de mercado, continua sendo um tema quente de conversa após a decisão do Comitê de Supervisão Bancária da Basileia de classificar a moeda digital como um ativo muito arriscado.

O comitê, basicamente o regulador do setor bancário internacional, propôs que uma ponderação de risco de 1.250% seja aplicada à exposição de um banco ao Bitcoin e a outras criptomoedas.

A decisão pode ser vista como uma faca de dois gumes, pois embora tenha trazido as criptomoedas ainda mais para o mundo financeiro dominante, também as tornou extremamente caras para os bancos manterem seus balanços, potencialmente atrasando uma adoção mais ampla.

O Bitcoin recebeu um impulso na quinta-feira com a decisão de El Salvador de adotar a moeda digital como moeda legal, o primeiro país a fazê-lo. No entanto, já surgiram dúvidas sobre esse movimento, depois que o Fundo Monetário Internacional disse que poderia levantar questões jurídicas e financeiras.

5. Petróleo sobe; IEA vê maior produção

Os preços do petróleo bruto subiram na sexta-feira, definido para seu terceiro aumento semanal, na expectativa de uma recuperação na demanda de combustível à medida que a economia global se recupera da pandemia.

Às 8h49, o petróleo WTI subia 0,24% para US$ 70,46 o barril, depois de avançar na quinta para o patamar mais alto desde outubro de 2018. Já o Brent subiu 0,22% para US$ 72,68, após fechar no maior nível desde maio de 2019. Ambos os contratos prevêem aumentos semanais de mais de 1%.

O tom geral do mercado de petróleo bruto continua positivo, ajudado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo, mantendo a previsão de que a demanda em 2021 aumentará 5,95 milhões de barris por dia, 6,6% a mais que no ano anterior.

Mais tarde, os investidores se concentrarão na última atualização semanal da Baker Hughes sobre o número de plataformas de petróleo, enquanto o CFTC lançará seu relatório semanal de compromissos.

https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/06/11/dolar.ghtml

https://br.investing.com/news/stock-market-news/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-sextafeira-879590

Siga nossas redes

Veja mais